Buscar notícia:
Principal   Seções   Campeonatos   CBJD   Colunas   Clubes   Vídeos   Institucional   Programação   Cadastre-se   Contato
 
COLUNA: BALEIA
Baleia


18/10/2018 - Terça-Feira
Por dentro do circuito das Américas
 


O Circuito das Américas é talvez a melhor obra de Herman Tilke, o projetista preferido de Ecclestone, e é também querido pela maioria dos pilotos. O circuito está situado a poucos quilômetros a sudeste da cidade Austin.

Pioneira. É a primeira pista construída com o propósito de receber a F1 na América do Norte, apesar da categoria máxima já ter corrido em outros nove diferentes locais no país, a saber; Sebring, Riverside, Watkins Glen, Long Beach, Caesars Palace, Detroit, Dallas, Phoenix e Indianapolis.

Inspiração. As seções mais desafiadoras da volta foram inspiradas por algumas das grandes curvas de todo o mundo. O setor 1 contém algumas curvas rápidas semelhantes ao complexo Maggotts-Becketts em Silverstone. O setor 2 tem uma curva parecida com o ‘S’ do Senna em Interlagos, e o setor final tem uma curva longa de várias ‘pernas’ lembrando a curva 8 de Istambul Park.

Contrario. Essa pista, junto com a do Azerbaijão, Cingapura, Brasil e Abu Dhabi é uma das cinco do calendário deste ano no sentido anti-horário. Ela também tem uma mudança de elevação de 41 metros, sendo o ponto mais elevado o ápice da curva 1, e muitas das curvas têm entradas e saídas cegas. O circuito tem mais curvas de mais de 250 km/h do que Spa e mais curvas abaixo dos 100 km/h do que a Hungria. Para ser rápido, o piloto tem que ser muito preciso.

Quebra cabeça. O acerto de carro é uma dor de cabeça para os engenheiros e pilotos. Pois precisa ter o compromisso entre a velocidade em reta e aderência em curva. A reta oposta de 1 km incentiva os engenheiros a reduzir os níveis de asa, mas a necessidade de aderência nos setores 1 e 3 pede máxima pressão aerodinâmica, como tem sido o caso na maioria das pistas deste ano.

Medidas. A pista tem 5.513 metros e a corrida é realizada em 56 voltas perfazendo um total de 308.405 kms. Possui duas zonas de DRS, Sendo uma na reta dos boxes e outra na reta entre as curvas 1 e 12.

Freada para curva. Os pilotos fazem a aproximação da curva a 320 km/h e contornam-na a 87 km/h. a distancia da frenagem é de 140 metros e a duração (tempo) da frenagem é de 1,1 segundos. A desaceleração é de 4,7g e a pressão sobre o pedal de freio 115 kg.

A previsão do tempo para Austin é de 90% de possibilidade de chuva no sábado e no domingo tempo parcialmente nublado com a temperatura variando de 11º a 20º.

* Essa etapa e a do México não terão transmissão da Globo

PROGRAMAÇÃO DO GP DAS AMERICAS

Sábado, 20 de Outubro de 2018 Treino Livre 3 15:00 – (SporTV) Classificação – 18:00 – (SporTV)

Domingo, 21 de Outubro de 2018 Corrida – 15:00 (SporTV)

UM OTIMO FINAL DE SEMANA


 
 
   
 

Colunas
 
 
Coluna do BALEIA
 
Segunda semana de ensaios
Veja todas as colunas deste colunista.
 
 
Coluna do BALEIA
 
ENSAIOS
Veja todas as colunas deste colunista.
 
 
Coluna do BALEIA
 
Mudanças no mundo rosso
Veja todas as colunas deste colunista.