Buscar notícia:
Principal   Seções   Campeonatos   CBJD   Colunas   Clubes   Vídeos   Institucional   Programação   Cadastre-se   Contato
 
 
COLUNA: BALEIA
Baleia


07/10/2016 - Sexta-Feira
#16 - GP da Malásia – Surpreendente
 


A etapa da Malásia começou com o domínio de Lewis Hamilton. Mandou bem na classificação ao conseguir colocar quase meio segundo de vantagem sobre seu principal oponente, Rosberg. Porem a dupla da  Red Bull estava bem perto  do alemão.

    Presente.  Segundos após a largada na entrada da curva um Vettel deu uma de Verstappen e mandou Rosberg para o final da tabela de classificação. Pensei comigo que presentão do reclamão para Lewis. Lewis seguiu firme na ponta e nem viu a mancada do ferrarista.

      *Hamilton chegou em Sepang com 8 pontos de desvantagem,  e se a corrida terminasse desse jeito Lewis terminaria  com 17 pontos de vantagem, porem  corridas só terminam na bandeirada final. Carreiras são carreiras como dizia Fangio.

     Inverso. Verstappen também teve muita sorte ao conseguir se safar da mancada do piloto da Ferrari. Logicamente o holandês não deixou barato e dissertou elogios a Vettel no radio e posteriormente na mídia. Nada como um dia após o outro. A situação se inverteu.

    Efeito. Na sequencia do acidente causado por Vettel vimos vários toques e pancadas. Kvyat acertou a traseira da Renault de Magnussen. Por outro lado quem estava por dentro na primeira curva se deu bem, Ricciardo foi o maior beneficiado,

   Recuperação. Ao final da primeira volta Nico ocupava o décimo sétimo lugar. E ai começou uma prova de recuperação, quase não tomando conhecimento dos outros carros que vinham a sua frente. Ultrapassar carros fracos é fácil porem quando chega num carro de ponta a coisa é diferente.             

    *E para sorte dele, Nico, era a Ferrari de Kimi que não estava podendo usar toda sua potencia. E novamente Kimi se viu obrigado a lutar com um carro muito superior  ao seu e sem se poder se defender como deveria.

    Por outro lado.  As Red Bull de Daniel Ricciardo e Max Verstappen, estavam  numa ótima estratégia de pneus. E começavam a virar uma ameaça real à vitória de Lewis. Que se via obrigado a andar  o tempo todo dando tudo que podia. Para assim conseguir abrir uma vantagem quando realizasse sua ultima troca de pneus.

    Chifre Rosso. Enquanto Lewis usava de toda potência que tinha a dupla do Touro nervoso começaram a se estranhar. Ricciardo vinha com pneus  mais desgastado e Verstappen como sempre com toda gana do mundo e com borracha mais nova.

    Melhor momento. Como sempre Verstappen partiu com tudo para cima de seu oponente e tentou por diveras curvas superar Ricciardo, que deu o seu Maximo e consehiu segurar o impecto do queridinho dos cartolas.Foi omelhor momento desta etapa e Ricciardo conseguiu segurar a fera. E isso foi vital para o desfecho final.

      Desespero. Pois na quadragésima primeira volta, a Mercedes do líder Lewis Hamilton apresentou uma de motor  e fundiu, chegando a sair fogo na parte traseira. No rádio foi possível ouvir os gritos de  desespero do inglês; “Não, Não,Não”  chegou a comover, Lewis Hamilton saiu d o carro inconformado e desolado.

    Intragável. Se tem um detalhe que precisa ser revisto urgente na F1 são as atitudes dos comissários. Estes senhores estão tentando acabar com as disputas que sãto a marca dos pilotos  arrojados. Só escapa da lente do mal  deles o Verstappen.

     Intragavel II. Aquela punição sobre Rosberg foi uma palhaçada. Parece que para estes senhores ultrapassagens só podem ser feitas nas retas com auxilio da asa móvel. Dessa maneira eles vão acabar com o melhor do espetáculo que é ver um piloto freiar prá lá do deus me livre e ultrapassar o adversário. Mesmo que as vezes aconteça um toquinho.

Uma ótima semana .


 
 
   
 

Colunas
 
 
Coluna do BALEIA
 
Uma temporada atípica
Veja todas as colunas deste colunista.
 
 
Coluna do BALEIA
 
#19 – GP do Brasil
Veja todas as colunas deste colunista.
 
 
Coluna do BALEIA
 
#18- GP do México - Um dia especial
Veja todas as colunas deste colunista.