Buscar notícia:
Principal   Seções   Campeonatos   CBJD   Colunas   Clubes   Vídeos   Institucional   Programação   Cadastre-se   Contato
 
 
COLUNA: BALEIA
Baleia


17/11/2017 - Sexta-Feira
#19 – GP do Brasil
 


Um GP do Brasil sem chuvas foi o que vimos neste ano. Normalmente a chuva se faz presente na etapa brasileira. Tempos atrás a corrida era realizada no mês de março ou abril, época de chuvas. Em 2004 a corrida passou a ser disputada no final do ano no intuito de evitar as águas, mas quase sempre a dona chuva se faz presente.

Boazinha. Confesso que esse não o melhor GP que acompanhei. Mas a atmosfera que envolve a região de Interlagos nessa época é ótima. Foi uma etapa boazinha. Vettel largou no lado sujo e mesmo assim conseguiu o primeiro posto na primeira curva. Interlagos possibilita isso, quem larga na sujeira fica por dentro e não é raro conseguir de dar bem.

Tranqüilo. Vettel ganhou tranqüilo e nunca foi incomodado na ponta. Ganhou do jeito que sabe ganhar larga e some. Quando tem que disputar posições para alcançar a ponta normalmente ele não se dá bem. Certamente é um costume que ele adquiriu quando corria com a Red Bull, não tinha carros capazes de lutar com o seu e ele ia embora.

Finlandeses. Valteri Botas novamente fez uma corrida sem brilho, nunca atacou a Ferrari. E também nunca foi atacado. Räikkönen também fez sua corrida a parte a te Lewis aparecer no final para lhe tomar o pódio. Porem o inglês destruiu o pouco de pneu que tinha na freiada do esse do Senna. Os finlandeses foram ao pódio porem um não cumprimenta o outro mau se olham.

Raro. Um erro de Hamilton na classificação foi o que deu graça na corrida no domingo. A Mercedes aproveitou a ultima posição e trocou alguns componentes do carro do inglês e assim ele largou dos boxes. Já primeira volta o Safety Car foi acionando e Lewis ganhou de presente algumas posições e também se juntou ao resto grid, quando a corrida recomeçou ele já era o décimo quinto.

Escalada. A partir daí ele começou escalar o pelotão. Um a um foi ultrapassando seus oponentes. No primeiro stint seu carro estava calçado com pneus macios que em Interlagos funcionou muito bem ao contrario do aconteceu na México. A escalada foi bem até encontrar Kimi Räikkönen. Terminou com o quarto posto.

Escalada II. Daniel Ricciardo foi outro que foi obrigado a fazer uma corrida de recuperação. Logo no inicio foi tocado e cai para ultima posição. Ricciardo fez uma boa corrida e conseguiu chegar no sexto posto logo atrás de Verstappen. Verstappen brigou com seus pneus desde a classificação e foi outro que não atacou ninguém.

Nuvenzinha. Felipe Massa na classificação, como quase sempre estava acompanhado de uma nuvenzinha negra sobre sua cabeça. No Q3 na ultima tentava foi atrapalhado por Sainz Jr. E em seguida começou a chover, resultando como o ultimo do Q 3. Porem na corrida a nuvenzinha foi embora e ele fez uma ótima corrida, brigando com Alonso

a maior parte da corrida. Na ultima volta passou apertado com a pressão do espanhol que também era pressionado por Perez. Terminou no sétimo posto ou o primeiro dos normais.

Marcante. O recado do filho do Massa no radio foi demais. A categoria nunca foi tão aberta como este ano. Don Alonso No domingo ele chegou a dar parabéns para Massa de dentro de seu carro e depois na entrada dos boxes após o termino ele já fora do carro parabenizava Massa que chegava na sua Williams.

Consistente. Esteban Ocon sofreu um toque de Grosjean na primeira volta. Com o carro danificado Ocon foi obrigado a abandonar. Ate ai nada demais, porém Ocon não abandonava uma corrida desde 2015 quando corria em categorias menores.


 
 
   
 

Colunas
 
 
Coluna do BALEIA
 
Uma temporada atípica
Veja todas as colunas deste colunista.
 
 
Coluna do BALEIA
 
#19 – GP do Brasil
Veja todas as colunas deste colunista.
 
 
Coluna do BALEIA
 
#18- GP do México - Um dia especial
Veja todas as colunas deste colunista.