Buscar notícia:
Principal   Seções   Campeonatos   CBJD   Colunas   Clubes   Vídeos   Institucional   Programação   Cadastre-se   Contato
 
COLUNA: BALEIA
Baleia


16/05/2019 - Quinta-Feira
#5 – GP da Espanha – Suquinho de água de salsicha
 


A quinta etapa do calendário da F1 não foi como esperado por muitos. Foi mais uma corridinha chata, disputa mesmo só na primeira curva. Onde três carros disputaram um espaço que logicamente não era para eles. E que se deu bem novamente foi Hamilton.

  Essa é quarta etapa onde quem consegue tomar a ponta na primeira volta vence. Uma situação chata, para quem torce por disputas. Quer seja pelo domínio alemão ou por outro motivo qualquer.  Uma coisa é certa existem algumas pistas que deveriam ser readequadas ou retiradas do calendário. E esta da Catalunha é uma delas. Por sorte o GP da Espanha de 2020 está ameaçado de não acontecer. 

 Porem esse esporte a tempos não segue a lógica desportiva e sim a monetária. É neste quesito que os espanhóis correm o risco de não tem sua etapa em 2020.

Por outro lado, a próxima etapa é a pior de todas no quesito ultrapassagens. Porém é a de maior prestígio. O glamoroso GP de Mônaco. A pista onde vencer é um grande prestígio.

    Realidade. A verdade é que de uns tempos para cá, não tem como valorizar muito uma vitória no principado. Pois normalmente quem larga na pole vence. A vitória de Ricciardo evidência isto, mesmo com um carro deteriorado conseguiu vencer, por que não era possível ultrapassá-lo. Porém no passado a vitória lá demonstrava que o piloto era especial. 

 Superior. Desde que se iniciou a era híbrida os alemães comandam o espetáculo. Mas nesta temporada a superioridade é marcante. Nos dois anos anteriores vimos a Ferrari oferecer alguma resistência. Tanto que Vettel foi o vice nestas duas temporadas.   

 Decepção. Voltando a Catalunha. É neste circuito que são realizados os testes da pré-temporada. E foi justamente nestes testes que a Ferrari demonstrou que poderia ser realmente a equipe que poderia bater a Mercedes. Mas a realidade foi bem outra. Vimos ao final da corrida que os italianos nem conseguiram o último lugar do pódio..Mesmo tendo estreado uma nova unidade de potência e novidades na aerodinâmica.

Nunca. Nos quase setenta anos da categoria nunca se viu uma equipe conseguir dominar as cinco primeiras etapas, com dobradinhas seguidas. Nem aquela Williams do outro mundo de 1992. Que Ecclestone deu um jeitinho de eliminar rapidinho. (1994 mudou o regulamento).

  Os alemães nesta temporada estão conseguindo o que sempre desejaram, e tentaram no início da categoria, um domínio total enquanto os vermelhos estão conseguindo a cada etapa andar para traz. Fora a deficiência técnica. Eles conseguem ser piores na estratégia.

&nbs p; *Em 54 a Mercedes abandonou a categoria depois de um acidente em morreram vários torcedores da arquibancada.

Difícil. Valtteri Bottas dominou tudo até chegar no domingo. Até parecia que ele tinha a mão do carro e Lewis ainda tentava se entender com o dele. Mas é no domingo que é para valer e aí tudo conspirou a favor de Hamilton. Nem a presença de um Safety Car conseguiu embaralhar as posições. Bottas foi para casa com um sentimento ruim na cabeça.

Sorriso. Max Verstappen foi outro não tinha nada para reclamar da corrida espanhola. Tomou a terceira posição de Vettel depois do entrevero da primeira curva e não há perdeu até o final. E sua alegria deve ser maior em Mônaco onde seu carro é o favorito. Já imaginou a festa da Honda.

Ótimo final de semana


 
 
   
 

Colunas
 
 
Coluna do BALEIA
 
#14- GP DA ITALIA – A FESTA DA MASSA QUE ADORA MASSA
Veja todas as colunas deste colunista.
 
 
Coluna do BALEIA
 
#13 – GP da Bélgica – Uma festa contida
Veja todas as colunas deste colunista.
 
 
Coluna do BALEIA
 
Avaliação de verão
Veja todas as colunas deste colunista.