Buscar notícia:
Principal   Seções   Campeonatos   CBJD   Colunas   Clubes   Vídeos   Institucional   Programação   Cadastre-se   Contato
 
COLUNA: BALEIA
Baleia


05/07/2019 - Sexta-Feira
# 9 – GP da Áustria – Um hiato na monotoni
 


Forem nascerias nove etapas para vermos uma que agradece a maioria dos aficionados. Isso sem desmerecer a etapa bareinita que tinha sido a melhor até aqui. Porem no Barein o merecedor da vitoria foi traído pela fragilidade do carro vermelho. Até hoje me pergunto, se foi azar de Leclerc ou sorte de Hamilton.

Bis. Na etapa austríaca também vimos um domínio de Leclerc. Melhor no segundo e terceiro treinos, e também comandou a classificação e a maior parte da corrida. Porem no finalzinho perdeu sua posição para Verstappen numa manobra prá lá de arrojada. E outra vez viu sua primeira vitoria ir pro ralo.

Liguem os aquecedores. Essa foi a melhor corrida do ano até aqui. Verstappen fez uma senhora recuperação depois de largar muito mal, caído de segundo no grid para oitavo ao final da primeira volta. Verstappen foi bom? Sim, bom e arrojado. Porem na teoria não tinha um carro para vencer. Então como foi que venceu? Uma combinação de fatores, a principal foi o calor reinante na pista no horário da corrida e altitude. Os alemães enfim demonstraram a seu elo fraco. Em outras situações climáticas quase parecidas neste ano, venceram com o motor no gargalo.

E ai. Porem sem as Mercedes a lógica seria dar Ferrari. Pois o traçado favorece os motores de maior potencia. E o Honda é reconhecido como o de menor potencia do grid. O segundo motivo é a qualidade do chassi taurino. Ele tem um ótimo balanço o que lhe proporciona pouco consumo de pneus.

Econômico. Verstappen só efetuou sua troca na volta 31. Bottas na volta 21 e Leclerc na 22. Sendo assim, alem de trocar bem depois e ter um carro de melhor balanço, quando ele colocou seus pneus, seu tanque continha menos combustível que os rivais diretos. O que contribuiu ainda mais para desgastar menos seus pneus. Essa combinação de fatores e a gana do Max de agradar a grande torcida laranja que compareceu em grande numero e deram um show, fizeram desta etapa uma ótima corrida.

*Foi tão bom que um amigo que não é muito ligado na F1atual, me perguntou na segunda feira, o que aconteceu na F1 ontem? Por que onde eu vou esta todo mundo falando de F 1.Um fato raro ultimamente.

Eles. Sempre eles. A manobra de Max na ultrapassagem sobre Leclerc nos momentos finais da etapa foi alvo de investigação dos comissários. Se você for seguir o que esta no manual da FIA, (deixar espaço para o rival) Max sofreria uma punição. Porem como punir quem fez a melhor corrida de sua carreira e diante de uma senhora torcida. E o maior agravante, nas duas etapas anteriores ELES fizeram besteiras e não poderiam repetir pela terceira vez consecutiva. Claro que a decisão não somente por eles.

A torcida. A próxima etapa sera na Inglaterra onde o clima tende a ser favorável a Mercedes. Já na Alemanha e Hungria etapas vindouras a onda de calor no hemisfério norte tende a ajudar as disputas. Isso se os talentosos engenheiros alemães não acharem uma solução antes.

Destaques. Na turma do meio o maior destaque ficou por conta da melhora dos carros da Mc Laren. Norris conseguiu chegar em sexto, o melhor do resto e Sainz Jr chegou em oitavo de depois de largar da decima nona posição. O destaque negativo ficou por conta da Renault e Haas.

Nuvem negra. Sebastian Vettel passou por um péssimo final de semana. Sofreu uma pane na classificação. O que lhe fez largar do nono posto. Vinha numa ótima corrida de recuperação quando a turma da macarronada resolveu azedar sua corrida no seu primeiro Pit Stop. Vettel ainda realizou outra parada e ainda conseguiu o quarto posto.

Um ótimo final de semana.


 
 
   
 

Colunas
 
 
Coluna do BALEIA
 
Religando o triturador
Veja todas as colunas deste colunista.
 
 
Coluna do BALEIA
 
# 12 – GP de Hungaroring - O Troco Dos Alemães
Veja todas as colunas deste colunista.
 
 
Coluna do BALEIA
 
#11 – GP da Alemanha – A redenção
Veja todas as colunas deste colunista.