Buscar notícia:
Principal   Seções   Campeonatos   CBJD   Colunas   Clubes   Vídeos   Institucional   Programação   Cadastre-se   Contato
 
COLUNA: BALEIA
Baleia


06/04/2019 - Sábado
#2 - GP do Bahrein - Outro mundo
 


A segunda etapa de 2019 foi o contraria do GP da Austrália. Vimos um GP movimentado e cheio de ultrapassagens. Porem a etapa foi marcada por um otimo desempenho da equipe Ferrari. Que de destaque da pre temporada se mostrou uma coadjuvante na primeira etapa e estrela dessa segunda,

Cara nova. Os carros vermelhos dominaram os treinos e a classificação. E ainda comandaram a corrida até o terço final da etapa, para alegria de muitos, só para não ver a Mercedes ganhar de novo. quando o estreante da equipe comandava o espetáculo. O rapazinho que foi imposto pelo ex presidente da equipe o que demostrou que o finado dirigente estava cheio de razão.

Fera. Charles Leclerc é o nome da fera. Leclerc fez a pole. Há tempos, muito tempo, não víamos um estreante numa equipe de ponta conseguir o feito. Largou na posição de honra, porem na hora H falhou e viu Vettel e Bottas na sua frente.

A partir daí usou seu maior talento, não apavorou e sentou o pe direito alinhando com um ótimo braço e assim não demorou muito para ele se mostrar e assim superou Bottas e um pouco depois Vettel, e ainda por fora, apesar da equipe Ferrari o mandar se manter atrás do alemão. * Leclerc é o contrário de Verstappen. Sabe mesclar o braço e o celebro. Não é aquele jovem piloto que considera o carro de seus adversários como pinos de boliche.

Forte. O jovem monegasco imprimiu um ritmo forte e abriu muito dos demais. Entre esses demais estavam um treta campeão, Vettel, e um penta Lewis. E assim a Mercedes adotou uma tática diferente para Lewis diante do domínio vermelho.

Alvo. Quem conhece o inglês sabe que ele um muito competitivo e assim logo ele conseguiu chegar no alemão. E como tem acontecido ultimamente o alemão errou. Rodou e perdeu mais uma vez quando confrontado. Vettel é agora o alvo predileto da mídia italiana.

Misto. O que não estava no script era o carro de Leclerc falhar. Quando isso aconteceu vimos um misto de tristeza pelo azar do jovem e euforia de outros que torciam pelo Hamilton. Porém o próprio Hamilton se sodalirizou por duas vezes com o piloto vermelho, dizendo que o que ocorreu com ele é muito difícil de digerir. E ainda lhe dizendo que sua primeira vitória virialogo. 

A verdade. A falha no propulsor do carro de Leclerc foi mecânica (o bico de injeção do quarto cilindro) não no sistema de recuperação de energia como disse um dos comentaristas da globo. Por falar nessa turma, quando a Mercedes mudou a tática com Hamilton, parando cedo e colocando pneus macios, o narrador insinuou que era uma tática errada. E não foi. Era arriscada, porem contaram com uma ajudinha de Vettel para dar certo.

Duplinha. Dois pilotos de equipes diferentes vivem o mesmo drama, Ricciardo e Sainz Jr não conseguiram terminar as duas primeiras etapas e seus companehiros de equipe tem marcado pontos importantes. no caso de Sainz é pior ainda devido seu companheiro ser um estreante na categoria. Lando Noris é o nome da fera. fez bonito e ainda contou com a sorte,

O que será. Vimos o carro vermelho muito rápido na pré temporada, porem frágil. Na Australia os italianos aliviaram a potencia em a da confiabilidade. Já no Bahrein uma corrida noturna (temperatura amena) liberaram a tropa toda. Qual será a verdadeira situação deles agora. No próximo GP o de número 1000 teremos a resposta concreta.

Mudando o rumo. Vettel vive dias difíceis, porem uma corrente na F1 nunca deu credito para ele. Desde seu auge ele sempre nos mostrou que em situações adversas ele apaga, acostumou-se a lagar da pole ou na primeira fila e ai correr sozinho. Assim se acostumou há nao disputar posições. largava na frente e liderava sem concorrência. quando o companheiro de equipe estava melhor a equipe dava um jeito de tirar esse do confronto. e assim como acontecia com outro alemão de 2000 2004.

La atrás. Quando Alonso andava na Ferrari nas poucas vezes que Vettel vinha de uma corrida de recuperação quando chegava no espanhol ele nunca conseguia ultrapassar ou mesmo tentar. O mesmo acontece com ele quando encontra um Hamilton ou qualquer outro piloto que oferece resistência.

Mania errada. Esse tetra campeão aprendeu vencer com carro muito superior e com forte apoio da equipe em detrimento se seu companheiro de equipe. Em 2014 quando a FIA fez um regulamento para destronar a Red Bull e os carros da equipe taurina viram coadjuvantes ele simplesmente se apagou.

Chegando ao ponto do estreante na equipe naquele ano, Ricciardo, ganhar corridas e o alemão não. Agora vai viver o mesmo drama. Já que Leclerc não veio para fazer o que Raikkönen foi obrigado a fazer por força de contrato e um certo comodismo do finlandês, $$$. Lembrando tambem que o salário da Leclerc é cerca de 1/6 do alemão.

Ótimo final de semana.


 
 
   
 

Colunas
 
 
Coluna do BALEIA
 
Religando o triturador
Veja todas as colunas deste colunista.
 
 
Coluna do BALEIA
 
# 12 – GP de Hungaroring - O Troco Dos Alemães
Veja todas as colunas deste colunista.
 
 
Coluna do BALEIA
 
#11 – GP da Alemanha – A redenção
Veja todas as colunas deste colunista.