Buscar notícia:
Principal   Seções   Campeonatos   CBJD   Colunas   Clubes   Vídeos   Institucional   Programação   Cadastre-se   Contato
 
 
SEÇÃO: Outros Esportes
Rexona/Sesc vence sul-americano, em Uberlândia
20/02/2017 - 10:06 hs
 


Dentil/Praia e Rexona/Sesc fizeram na noite de sábado (18), em Uberlândia, no ginásio do Praia Clube, a final do XVII Campeonato Sul-Americano Interclubes de Voleibol Feminino, que valia uma vaga para o campeonato mundial em Kobe no Japão, 8 a 14 de maio e o time do Rio de Janeiro, que nunca perdeu para o de Uberlândia fez 3 a 1 com parciais de 25 a 19, 20 a 25, 25 a 19 e 25 a 10 e conquistou sua quarta vitória de campeonatos sul-americanos.

O primeiro set começou com Rexona/Sesc e Dentil/Praia jogam partida muito equilibrada, com muitos erros de parte a parte e ninguém escapando no placar até que o Rexona/Sesc abriu dois pontos no placar fazendo 19 a 17 e com o técnico Ricardo Picini pedindo tempo para não permitir que o adversário abrisse maior vantagem, mas o time de Bernadinho fez 22 a 18, o que fez o técnico da equipe uberlandense pedisse seu segundo tempo e cobrando suas atletas por maior agressividade no ataque.

Por 25 a 19 o Rexona/Sesc venceu o primeiro período, em 23 minutos e Gabi (Rexona) e Anne (Praia) com 3 pontos foram as maiores pontuadoras do set. Para o segundo período o Dentil/Praia voltou fazendo pressão sobre o Rexona/Sesc e logo de cara abriu 4 a 1 e fez Bernardinho pedir seu primeiro tempo na partida. A parada surtiu efeito, reduziu a diferença para dois pontos e os dois times ficaram se alternando nos pontos, com o Dentil/Praia abrindo 3 pontos e o Rexona/Sesc diminuía para 2 a diferença, o time do Triângulo voltou a abrir 5 pontos de vantagem em 14 a 9, que fez Bernardinho gastar o segundo tempo possível no s, o que não adiantou e o Dentil/Praia venceu o segundo set por 25 a 20, empatando a partida em 27 minutos, com 8 pontos marcados por Fabiana (Praia).

O terceiro set começou equilibrado como o primeiro com o placar alternando de lado a lado até o Dentil/Praia fazer 8 a 6, mas a vantagem não durou muito e logo o Rexona/Sesc empatou em 11 pontos e em seguida passar à frente, ainda sendo favorecido por atitude intempestiva de Tássia que chutou a rede e levo cartão vermelho, dando outro ponto ao time carioca. Mas o Dentil/Praia se recuperou e empatou em 14 pontos, o que levou Bernardinho a pedir tempo, que não resolveu e as equipes voltaram à alternância no placar, até o time do Rio de Janeiro abrir 20 a 18, o que forçou o técnico mineiro a pedir tempo, mas sem resultado e o Rexona/Sesc fechou o set em 25 a 19 em 26 minutos, com destaque para a defesa carioca, sem grandes destaques na pontuação.

O quarto set também começou equilibrado e cheio de erros, mas o Rexona/Sesc conseguiu abrir pequena vantagem fazendo 6 a 3 e forçando o técnico Ricardo Picini a pedir tempo para tentar impedir maior abertura de vantagem pelo time carioca, o que acabou acontecendo, pois o Rio de Janeiro deslanchou no placar e novamente aconteceu tempo por Picini, que não diminuiu o apetite do Rexona/Sesc com 12 a 7 Bernardinho pediu tempo após seu time sofrer 3 pontos seguidos. Nesse caso a parada surtiu efeito e o time do Rio de Janeiro ampliou sua vantagem fechou o set com 25 a 10 em 1h53

Com destaque no período para Monique que fez 8 pontos. Também fechou o jogo em 3 a 1.

Para a campeã Fabi o jogo foi muito igual até o quarto set quando segundo ela o "Praia se perdeu". Já a meio de rede do Dentil/Praia Fabiana a coisa é mais séria. "É um desabafo, mas a gente tem que ser mais time, pois muita gente torce para a gente. Hoje o individualismo, foi uma pena, mas fez com que nós perdêssemos", concluiu Fabiana.

Foto: Fernando Maia/MPIX


 
 
 

Colunas
 
 
Coluna do BALEIA
 
#16- GP da Malásia – A segunda ninguém esquece.
Veja todas as colunas deste colunista.
 
 
Coluna do BALEIA
 
Despedindo de Sepang
Veja todas as colunas deste colunista.
 
 
Coluna do BALEIA
 
#14 – GP de Singapura – A noite do iluminado
Veja todas as colunas deste colunista.